«

»

Imprimir Post

TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO DE ITAPERUÇU EM LUTA!

O Movimento Despertar surgiu em 30 de julho deste ano, em uma reunião com 64 Professoras da rede municipal de Itaperuçu (cidade da região metropolitana de Curitiba), que estavam indignadas com o corte inesperado de R$246,00 em seus salários. A Prefeitura, sem dar maiores explicações, fez o corte do pagamento do beneficio, proveniente da verba do FUNDEB, alegando que o governo federal reduziu o repasse. Essas professoras insatisfeitas com as más condições de trabalho, com atraso de pagamento do adicional de férias, com a desvalorização de sua profissão e com os assédios morais frequentes decidem, neste encontro, fundar um Movimento em defesa de seus direitos e da qualidade da Educação em Itaperuçu.

A Intersindical – Instrumento de Luta de Organização da Classe Trabalhadora se soma à luta do magistério de Itaperuçu, como forma de prestar sua solidariedade ativa de classe a essas professoras que, como trabalhadoras do Estado, sofrem na pele a exploração e o corte de direitos, enquanto prefeituras e governos tiram dinheiro da educação e de outras áreas sociais para favorecer os interesses do capital.

Além da Intersindical – Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora, o Movimento Despertar também conta com o apoio de pessoas e agrupamentos que defendem que não basta apenas eleger representantes que irão “fazer pela população”. É necessário que os próprios trabalhadores tomem seu destino nas mãos e se organizem de forma autônoma, a partir dos locais de trabalho, para que consigam avançar em seus direitos. Entre as entidades que apoiam o Movimento está o Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (SISMMAC) e a Alternativa Sindical Socialista (ASS), uma das organizações que constrói a Intersindical – Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora, fundada em 2006 e que tem por principio a independência em relação aos patrões, governos e partidos e organiza a luta a partir da base contra os ataques do Capital.

Professoras vão às ruas para dialogar com a população

No dia 1º de setembro, o Movimento Despertar realizou uma mobilização pelas ruas da cidade com o objetivo de conversar com a comunidade, explicar o que é o grupo, quais são as principais reivindicações e coletar assinaturas em apoio à luta do Magistério de Itaperuçu. Mais de 30 Professoras, Professores, pais e alunos participaram da caminhada. Companheiros e companheiras da Intersindical e do SISMMAC também estavam presentes.

Condições de trabalho

Conheça os problemas e dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores da educação, que dedicam a vida a formar as filhas e filhos dos demais trabalhadores de Itaperuçu:

Muitas vezes, o professor tira dinheiro do seu próprio bolso para poder comprar giz, entre outros materiais;

Se o professor precisar se ausentar, por motivo de doença, perde sua hora-atividade. Esse é o tempo garantido por lei, no qual os professores estudam, preparam as atividades e fazem as correções em cadernos, provas, etc. A hora-atividade está assegurada em Lei, a licença por motivo de saúde também é direito do trabalhador. Um benefício não exclui o outro; temos que fazer valer nossos direitos!

Os professores precisam dar conta de turmas com grande número de alunos. Muitos deles possuem dificuldades de aprendizagem e necessitariam de um atendimento mais individualizado

Muitas turmas estão sob a responsabilidade somente de estagiárias, que deveriam estar aprendendo com as Professoras para mais tarde assumirem uma turma. Aliás, o salário de uma estagiária é inferior a de um Profissional do Magistério. Os estagiários não podem assumir sozinhos uma sala de aula. Precisamos denunciar ao MEC!

A maioria das escolas não tem professores auxiliares, que desempenham um trabalho de suma importância para melhorar acompanhamento da aprendizagem dos alunos.

Os Professores não têm apoio Pedagógico, ou seja, não recebem orientações e acompanhamento em relação às atividades desenvolvidas com os alunos.

O lanche dado aos alunos, na maioria das vezes, é só chá com bolacha. Sabe-se da importância do lanche escolar em todas as escolas. É necessário lutar por verbas para garantir um cardápio balanceado, nutritivo, pois alguns alunos frequentam a escola principalmente para poderem se alimentar.

Os professores não receberam suas férias!

Não tem no município diversos profissionais, como fonoaudiólogos e psicólogos, que em muito contribuiriam para o desenvolvimento dos alunos com dificuldades.

Por essas razões e outras, é que as Professoras e Professores de Itaperuçu, não podem se calar, por isso estão Despertando toda população para apoiarem esta luta em defesa da Educação dessas crianças, com qualidade e respeito!

Compartilhe!

Link permanente para este artigo: https://www.intersindical.org.br/2012/10/24/trabalhadores-da-educacao-de-itaperucu-em-luta/