«

»

Imprimir Post

Filhos mimados, amigos da milícia, educados pelo pai Bolsonaro, aquele que defende o trabalho infantil e o fim dos direitos da classe trabalhadora 

No dia 25 de agosto, Bolsonaro soltou mais uma declaração que mostra seu asco pelos trabalhadores e pelas crianças, filhas da classe trabalhadora.

Para uma plateia de donos de bares e restaurantes, Bolsonaro lembrou com saudades o tempo em que não havia nenhum tipo de legislação e fiscalização de combate ao trabalho infantil, defendeu novamente que se dependesse dele as crianças deveriam sim trabalhar.

O asqueroso presidente foi aplaudido animadamente pelos empresários, esses também têm muita saudade do tempo em que direitos não existiam e crianças a partir dos quatro anos eram levadas às fábricas para trabalhar.

Mesmo com a criação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), de legislação e fiscalização que foram consequência de muita luta, o trabalho infantil ainda é uma trágica realidade no Brasil e no mundo.

Dados do IBGE em estudo realizado em 2016, mostravam que mais de 2 milhões de crianças e jovens entre 5 e 17 anos de idade trabalhavam no Brasil, esses números só pioraram desde então.

Além de lhes serem retirados o direito à infância, a brincar, estudar, os pequenos filhos dos trabalhadores que em sua maioria também estão em trabalhos muito mais precarizados e na informalidade sofrem com os graves acidentes e doenças provocadas pelo trabalho.

Bolsonaro tem na mentira sua principal arma. Para cada plateia que o escuta escolhe um trabalho para dizer que fez quando ainda criança, ora foi na roça, ora foi trabalhando como garçom, mas o que esperar de um ser que defende o fim da legislação trabalhista, a desregulamentação de toda e qualquer fiscalização das condições de trabalho, que defende que a escola deve ser o espaço para adestrar os filhos da classe trabalhadora de acordo com os interesses capitalistas?

É o presidente que fez de seu núcleo familiar mais um lugar da disseminação do ódio, do preconceito, da mentira e também, da corrupção. Seus filhos adultos estão envolvidos em graves denúncias que vão desde a disseminação de notícias falsas à ligação com as milícias.

Seu núcleo de apoio conta com pessoas como a deputada Flordelis/PSD, acusada de arquitetar o assassinato do marido, uma mulher que se utilizou da fé e da comoção alheia para se dar bem. A cada nova denúncia contra a deputada o que se constata é que seu objetivo em adotar mais de 50 crianças e jovens em nada tem relação com bondade, o que pretendia era usá-los como escudos para seus crimes. 

Bolsonaro tem essa corja ao seu lado para executar as medidas que agradam ao Capital o que significa o fim dos direitos, o aumento do desemprego e da miséria. Por isso lutar contra esse governo genocida é lutar em defesa de nossas crianças, em defesa da vida, uma luta que só avançará na força da classe trabalhadora. 

Compartilhe!

Link permanente para este artigo: http://www.intersindical.org.br/2020/08/31/filhos-mimados-amigos-da-milicia-educados-pelo-pai-bolsonaro-aquele-que-defende-o-trabalho-infantil-e-o-fim-dos-direitos-da-classe-trabalhadora/