«

»

Imprimir Post

NOVAMENTE O PARLAMENTO ATACA AS MULHERES Hipocrisia e violência contra as trabalhadoras: é isso que significa a PEC 181

No dia 08 de novembro uma Comissão Especial criada na Câmara dos Deputados, composto em sua maioria absoluta de homens, que se escondem através de um discurso hipócrita para atacar a vida das mulheres, alterou a redação de um projeto de lei que deveria tratar da ampliação da licença maternidade para mães de bebês prematuros.

Esses hipócritas, que dizem defender a vida, tentam alterar o direito ao aborto legal já previsto em lei para os casos de estupro, anencefalia e riscos a vida da gestante.

Hipócritas que se acham detentores de definir quando começa a vida e viram as costas para as crianças que seguem vagando nas ruas vítimas da miséria, que morrem assassinadas nas periferias, hipócritas que são coniventes com a morte de milhares de mulheres que são vítimas dos abortos realizados nos açougues que são as clinicas clandestinas.

São os mesmos hipócritas que apoiam outros projetos, como o que protege o estuprador e penaliza a mulher, vítima dessa violência que continua numa sociedade que oprime as mulheres e explora o conjunto da classe trabalhadora.

A LUTA É DO CONJUNTO DA CLASSE TRABALHADORA:
Nessa semana as manifestações contra a PEC 181 se espalharam por todas as regiões do país e nossa tarefa é fortalecer essa luta em cada local de trabalho, estudo e moradia, para impedir mais esse atentado contra a vida das mulheres.

Essa não é uma luta só das mulheres, mas do conjunto da classe trabalhadora. São as mulheres pobres, em sua grande maioria, as vítimas dessa violência que mata milhares a cada ano.

Lutar em defesa da vida é lutar por outra sociedade em que ser mulher, negro, negra, homossexual não signifique ser desigual. Lutar em defesa da vida é lutar por uma outra sociedade em que mulheres e homens trabalhadores não sejam submetidos à opressão e à exploração.

Link permanente para este artigo: http://www.intersindical.org.br/2017/11/18/novamente-o-parlamento-ataca-as-mulheres/