«

»

Imprimir Post

PARA O PREFEITO DA BURGUESIA, SERES HUMANOS QUE NÃO TÊM ONDE MORAR E NEM O QUE COMER DEVEM SER TRATADOS COMO ANIMAIS É isso que Dória do PSDB faz em São Paulo. É isso que gostaria de fazer em todo o Brasil como presidente.

Em julho, até os meios de comunicação do Capital não conseguiram esconder a forma como o prefeito de São Paulo João Dória/PSDB acordava aqueles que estão na rua não por opção, mas porque são vítimas da miséria e da fome.

Jatos d’água nas madrugadas frias do inverno de São Paulo expulsavam os trabalhadores dos locais onde buscavam abrigo e destruíam seus poucos pertences. Essa era mais uma das medidas de “higienização” impostas pela política do governo municipal de São Paulo.

Para o Prefeito, quem mora na rua e quem é filho de trabalhador não tem que ter comida: tem que ter ração.

Agora, o mesmo prefeito que tenta entregar os serviços públicos que podem se tornar mercadoria rentável para o Capital às empresas privadas, avança em sua política baseada no ódio de classe, tratando seres humanos desprovidos do básico para sobrevivência como animais.

O governo, para avançar em sua sanha privatista, buscando mais formas de lucros para o Capital, anunciou o que chama de “Alimento para todos”, mas na realidade é para todos aqueles que não pertençam ao seu seleto grupo de burgueses que se fartam nos banquetes patrocinados pelos lucros produzidos pelos trabalhadores que sofrem com o arrocho salarial, com o massacre aos direitos trabalhistas e que trabalham em condições cada vez mais precárias.

A ração de Dória é um composto produzido a partir de vários alimentos que estão prestes a chegar na data de vencimento, para ser distribuído aos moradores de rua, para as creches municipais e seria incluído nas cestas básicas distribuídas pela Secretaria de Assistência Social.

E o secretário de Desenvolvimento Social, ao provar da ração, não conseguiu esconder a reação de asco com o gosto do que chamam de alimento e vomitou mais ódio de classe, ao afirmar que “vai do gosto de cada um”. Segundo ele, não importa o gosto nauseante da ração, pois não é ele e nenhum burguês que vai ter que engolir um composto que em nada tem a ver com a alimentação digna que falta a milhares de seres humanos.

O governo municipal da cidade mais rica do Brasil escancara o ódio de classe do Capital que através dos instrumentos do Estado tenta submeter a maioria da sociedade a mais exploração e opressão que se expressa em reformas que tentam exterminar direitos conquistados através de muita luta e subjugar seres humanos os tratando como animais desprovidos de dignidade.

Só se indignar nas redes sociais não basta, é preciso colocar a revolta em movimento, única forma capaz de enfrentar essa barbárie provocada pela burguesia podre que se farta através da exploração imposta contra a classe trabalhadora.

Link permanente para este artigo: http://www.intersindical.org.br/2017/10/31/para-o-prefeito-da-burguesia-seres-humanos-que-nao-tem-onde-morar-e-nem-o-que-comer-devem-ser-tratados-como-animais/