«

»

Imprimir Post

Alemanha: Greve nos correios retém um milhão de cartas

Uma greve dos funcionários dos correios no Aeroporto de Frankfurt, em defesa de aumentos salariais, impediu hoje a distribuição de cerca de um milhão de cartas e cinco mil encomendas postais para o estrangeiro, anunciou fonte sindical.
Diário Digital / Lusa

A greve no turno da noite do aeroporto, que começou às 22:00 locais (21:00 de Lisboa), afectou assim praticamente todo o correio distribuído diariamente por via aérea da Alemanha para o resto do mundo, disse um porta-voz sindical.

Além disso, a distribuição postal em todo o país, que atinge diariamente cerca de 3,5 milhões de cartas e encomendas, está também paralisada hoje.

A greve convocada pelo sindicato ver.di, em representação dos 130 mil funcionários da Deutsche Post (Correios Alemães), destina-se a pressionar a administração da empresa, antes do recomeço das negociações salariais, na quinta-feira.

O porta-voz da Deutsche Post, Uwe Bensien, considerou que «não há razão nenhuma para fazer greve, porque ambas as partes sinalizaram que haveria uma solução, na última ronda de negociações».
Em declarações à televisão pública ZDF, Bensien acrescentou que a Deutsche Post «já deixou claro que um aumento salarial adequado é no seu próprio interesse», sem no entanto adiantar números.

O ver.di exige aumentos de sete por cento e a prorrogação da garantia de emprego para todos os trabalhadores dos correios, que caducou no mês passado, até 2011.

Além disso, o sindicato reclama a fixação, no novo contrato colectivo, do horário de trabalho semanal em 38,5 horas (actualmente 41horas) para os 53 mil trabalhadores dos correios com estatuto de funcionários públicos.

A Deutsche Post afirmou-se disposta a negociar a garantia de emprego, mas aa divergências quanto ao valor dos aumentos salariais e aos horários de trabalho mantinham-se, no final da primeira volta das negociações, na semana passada.

Compartilhe!

Link permanente para este artigo: http://www.intersindical.org.br/2012/10/03/alemanha-greve-nos-correios-retem-um-milhao-de-cartas/